Livros

Corte, precisão, justaposição

23905473_10211206177335675_1787538746311893084_n.jpg

Nasceu há 373 e com pouco mais escolheu continuar a viveu. Ao belo e comprido, dedicou a sua vida a encurtá-lo sem nunca lhe diminuir a beleza. Era uma honra tê-lo como hóspede e para ele uma necessidade — nem abrigo tinha. E inveja só das nuvens “que viajando pelos céus, nada possuem de supérfluo”.

imóvel contemplo a lua
e os outros pensam
que sou cego

(Matsuo Bashô, O Eremita Viajante [haikus – obra completa], edição: Assírio & Alvim, janeiro de 2017, p. 116)